quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Voltar à terra é preciso

A fuga dos domingos para uma manhã de quarta-feira vem para expressar a necessidade nossa de voltar à terra. Voltar à terra é preciso porque ela, chão, piso ou palco das mais variadas manifestações, é elemento presente de nossa história e de nossa organização em sociedade, porque ela, se entendida como natureza, constitui-se fonte dos valores de uso e de nossa própria vida.

Voltar à terra é preciso porque nela toda produção material ou simbólica se organiza, porque ela concentrada reduz a poucos não somente a riqueza expressa na economia, mas em todos os outros direitos não garantidos, como a cultura, a igualdade, a moradia, a formação, a organização e, principalmente, a participação, o reconhecimento, e mesmo a vida em liberdade.

Por isso, o direito à terra deve ser garantido a todos nós. Nós, os expropriados do planeta; nós, os exilados das sementes; nós, os apartados dos frutos; os operários sem fábrica, os camponeses sem chão, como nos dizeres de Mauro Iasi ou de Milton Santos ao expressar a terra como “teatro obrigatório da ação”, como o meio onde a existência humana é tornada possível.

É então por entender que sem terra somos todos nós, que faço destas palavras um convite ao voto pelo “sim” durante o plebiscito popular pelo limite da propriedade da terra que tem início neste dia 1º e segue até 7 de setembro em todo país. Informa-te sobre os pontos de votação e sobre esta grande campanha que expressa uma luta ainda maior, como o tamanho da precisão daquilo que nos é necessidade.

3 comentários:

Franck disse...

Votei, Camila, na enquete da Campanha... muito bom vc proporcionar essa conscientização...De fato, como educador e ambientalista não estava sabendo (que vergonha!!), mas estive tão ocupado que nem noticiarios (na net e na tv)tenho assistido, pra completar, três dias de cama...estou com 'dengue'-a doença!
PS: Poderia escrever inúmeras coisas sobr a Terra, no seu conceito como um todo, mas o corpo inteiro me doe, me perdoe!
Abraço-te!

camila chaves disse...

Em São Luís, alguns dos pontos de votação serão a Rede Amiga da Criança, localizada à Rua Direita, s/n - Centro (Praia Grande),

o Centro de Ciências Sociais (CCSo), o Centro de Ciências Humanas (CCH) e o Centro de Ciências Biológicas (CCBS) na Ufma.

camila chaves disse...

por Assessoria de Comunicação FNRA

Com balanço positivo, o Plebiscito Popular pelo Limite da Propriedade da Terra que ocorreu em todo Brasil de 1º a 12 de setembro, contou com a participação de mais de meio milhão de brasileiros e brasileiras.

Somente no estado do Maranhão foram mais de 68.300 votos, seguido da Bahia com 68.206 e São Paulo com 55.062 votantes. Confira a relação de votos completa no documento abaixo:

http://www.limitedaterra.org.br/downloads/Apura__o%20para%20coletiva%20a%20imprensa%20191010.pdf

 
Copyright 2009 zine colorido
Convert By NewBloggerTemplates Wordpress by Wpthemesfree