quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Um tempo desconectada


“como os acidentes de trânsito, alguns desenhos
e algumas paixões bloqueiam por horas avenidas
inteiras dentro da gente.” – Raisa Christina

Quando percebi que estava desaparecida, eu quis chorar de tanta ansiedade. Aconteceu que um problema no sistema impossibilitou que chegasse até mamãe o comunicado sobre minha viagem ao sertão. Uma campanha de busca foi aberta e uma corrente de especulações foi iniciada. Imagens compartilhadas, mensagens não entregues, ligações não completadas. 

Ainda na estrada, passado o nervosismo e o constrangimento da notícia sobre o meu próprio desaparecimento, me peguei a pensar em coisas muito vãs: qual terá sido minha foto de gente desaparecida? qual foi a real proporção desse tal sumiço? será que aquela moça me escreveu? A foto era bonita; a proporção foi grande – para o meu desespero –; e ela me escreveu.

Mas não falou de sentimentos. 
Ela falou de coisas tão vãs quanto eram aqueles meus pensamentos.

Coincidentemente ou não, uma das notificações falava sobre um convite para o lançamento de um livro chamado “mensagens enviadas enquanto você estava desconectado”. Achei que fosse piada da turma por aquela situação que agora nos causava riso. Mas o livro era real. Fui ao lançamento, vi Raisa Christina pela primeira vez e quis compartilhar com ela aquela história.

Olhei nos olhos dela e só consegui sorrir.

“Camila, obrigada pelo lindo sorriso”, veio na dedicatória. Então, ficou em mim a sensação aliviada de que alguma coisa aquele silêncio tinha conseguido dizer. O livro passou um ano aqui na mesa. Igualmente silenciado. Demorei para ler até decidir fazer isso em um desses meus movimentos de desconexão para deixar fluir os pensamentos e os sentimentos.

A narrativa, as histórias, o traço. Faz um tempo que não escrevo e nem desenho nada. “mensagens enviadas enquanto você estava desconectado” me fez ter de novo essa vontade.

6 comentários:

Seane Melo, Secoelho disse...

Camilinha, vim aqui esperando um breve resenha ou alguns comentários sobre o livro. Para a minha surpresa, ganhei esse texto simples e lindo demais! Por isso, vim comentar e, mais que isso, vim pedir: se tiver em São Luís, me empresta esse livro?

Camila Chaves disse...

Seane, tu sempre por aqui e eu desaparecida. Na minha última andança por São Luís, soube que tu estás por lá (ou por aí). Fiquei querendo te ver, mas eu já vinha embora outra vez. Quando for, em dezembro, levo esse livro pra ti, tá bom? Um beijo e saudade.

Sophia Beauvoir disse...

Camila, que interessante. Eu estava desaparecida também e vi suas msgs depois que decidi retornar, rs. Não a respondi porque não tinha visto suas msgs, ainda bem que decidi dar uma olhada num antigo blog.
Bom retorno, voltarei a visita-la. =)

Ana Alice Freire disse...

Sempre que sinto saudades, aquela que aumenta pelo tempo desconectada, venho aqui escutar sua voz escrita e me vem o sorriso das longas conversas de sofá.

Camila Chaves disse...

Aninha, essa tua mensagem tão bonito só fez aumentar ainda mais a minha saudade...

José María Souza Costa disse...

Olá,Camila Chaves

Te desejo uma Santa e abençoada Páscoa.
E um fim de semana de Paz e Alegrias
Um abraço.

 
Copyright 2009 zine colorido
Convert By NewBloggerTemplates Wordpress by Wpthemesfree